Navigation
Powered by Squarespace
Twitter
Arquivos
Downloads

Entries in Lua (4)

Wednesday
Oct172012

Belo Painel de Miguel Claro

Acho que todo mundo aqui conhece o Miguel Claro (http://astroarte.astrosurf.com/skyscapes.htm e http://www.facebook.com/miguelclaro.photography), grande astrofotógrafo português que faz belas imagens do céu. Analisando suas imagens ele conseguiu montar o belo painel apresentado acima. Nesse painel cada pixel é na verdade um mundo por si só. Para compor esse painel, Miguel Claro usou 170 diferentes fotos feitas por ele nos últimos anos. Suas imagens apresentam diferentes aspectos do céu noturno, incluindo alinhamentos entre os planetas, conjunções com a Lua, eclipses, rastros estelares, rastros lunares, a Via Láctea, etc.. O mais interessante desse painel é que ele foi criado manualmente no Photoshop, em vez de usar um programa que monta esse tipo de painel automaticamente.

Fonte:

http://lpod.wikispaces.com/October+17%2C+2012


Tuesday
Oct162012

Desenho Astronômico do Dia: As Crateras Lunares Diophantus e Delisle

O astrônomo  amador Michael Kassl começou a pouco tempo desenhar os objetos celestes. O desenho acima mostra seu primeiro desenho da Lua, e ele adotou uma estratégia muito interessante. Para começar escolheu uma região com poucos detalhes, para que ele pudesse treinar a técnica de desenho. Essa é uma estratégia que qualquer um pode seguir e que com certeza dará resultado. Ele então escolheu as crateras Diophantus e Delisle. A crista de montanha abaixo da Delisle mostrou uma sombra bem interessante durante a observação e por isso foi retratada. Ele também conseguiu uma bela visão de uma pequena cratera localizada na sombra da Diophantus. O desenho foi feito desde Carinthia na Áustria no dia 3 de Março de 2012. Para fazer o desenho o astrônomo utilizou lápis de grafite num papel branco, e processou um pouco o resultado final no software GimpII.

Fonte:

http://www.asod.info/?p=8440


Tuesday
Oct162012

Duas Visões de Antigos Heróis

É realmente interessante correr contra o tempo enquanto se desenha as feições da Lua localizadas ao longo do terminador do nosso satélite, durante uma fase de Lua Crescente. Parece que você está tendo quebrar um recorde mundial enquanto desenha, colocando que é muito mais fácil quando se está desenhando as terras altas em um papel preto em vez de sombras num papel branco enquanto se trabalha ao longo do terminador, especialmente quando a feição pode ser varrida pela chegada da sombra. O primeiro part de desenho dessas crateras foi feito pela astrônoma Erika Rix em 2005. Trabalhando com o aumento dado pela ocular, o desenho de 2005 foi feito enquanto a astrônoma observava a Lua através de seu telescópio refrator de 70 mm. As duas observações são aproximadamente as mesmas com diferenças na lunação e na hora da noite em que eles foram feitos, além da altitude e do azimute das figuras. A grande expectativa está na libração, veja a comparação abaixo:

2012 10 04: Lib. Lat: +00:26, Lib. Long: +00.35

2005 02 27: Lib. Lat: -00:50, Lib. Long: -05.04

O exemplo acima é um ótimo exemplo de como a libração afeta a visão que nós temos da Lua. O desenho acima também é muito bom para se ter uma ideia do que se pode observar da cratera Hercules H que tem aproximadamente 7 km de largura com um telescópio com 171x de aumento.

O desenho de 2012, foi feito com base numa observação realizada no dia 4 de Outubro de 2012, entre as 0500 UT até as 0636 UT. Para isso, a astrônoma usou um telescópio de 6 polegadas com uma ocular de 8 a 24 mm, com 171x de aumento, sem filtro. A Lua estava numa fase de 314.8 graus, com uma lunação de 18.12 dias, e uma iluminação de 82%. O desenho foi feito num papel preto do tipo Strathmore Artagain, com um lápis preto de óleo.

Fonte:

http://lpod.wikispaces.com/October+16%2C+2012


Monday
Sep242012

Direto do Observatório Lunar Vaz Tolentino: A Cratera Aristarchus e Cia.

ARISTARCHUS & Cia.

(créditos: Tolentino.)

ARISTARCHUS

Diâmetro da cratera: 40 Km;

Profundidade: 3,7 Km;

Coordenadas selenográficas: LAT: 23.7º N,  LON: 47.4º W.

Período Geológico Lunar: Copernicano (Copernican): 1100 milhões de anos atrás até os dias atuais.

Foto nos mapas LAC 39 e LAC 38.

Melhor época para observação: 4 dias após à fase “quarto crescente” ou 3 dias após o “ quarto minguante”.

Quem foi Aristarchus ?

Astrônomo e matemático grego (310 aC – 230 aC), nascido na ilha grega de Samos.

Aristarchus é uma jovem, destacada e brilhante cratera localizada no lado noroeste da Lua, perto do limbo e na parte sudeste de uma região conhecida como Aristarchus Plateau. Aristarchus é considerada a mais brilhante das grandes formações da superfície lunar, sendo bem visível a olho nu.

Aristarchus Plateau é um dos locais com maior interesse geológico do lado visível da Lua. É uma região elevada que contém várias formações vulcânicas, como por exemplo, sinuosas rilles (canais). Nessa região foram reportadas várias ocorrências de TLP (Transient Lunar Phenomenon – fenômeno lunar transitório, breve ou passageiro), que são descritos como aparições rápidas de luzes, cores ou mudança de aparência no visual, o que poderia demonstrar a existência de manifestações vulcânicas, escape de gases ou outros processos geológicos que supostamente implicaria que a lua não estaria geologicamente morta. O termo TLP foi criado em 1968 pelo astrônomo inglês Sir Patrick Moore, autor de mais de 70 livros sobre astronomia e colunista da revista inglesa Sky at Night.

Pesquisas feitas pela sonda lunar da NASA conhecida como LRO (Lunar Reconnaissance Orbiter ) sugere que a cratera Aristarchus tem sua composição geológica composta por granito e pela rocha vulcânica rhyolito, fato que é raramente encontrado na superfície lunar.

A oeste de Aristarchus encontra-se a cratera Herodotus (diâmetro: 34 Km, Lat: 23.2º N  Long: 49.7º W), com a superfície interna lisa e plana, inundada por lava basáltica.

A nordeste de Aristarchus está presente a cratera Prinz (diâmetro: 49 Km, Lat: 25.5º N  Long: 44.1º W). É uma cratera “fantasma” que foi quase que totalmente submersa pela lava do Oceanus Procellarum.

Presente também no Aristarchus Plateau, existe um longo e proeminente rille (canal), conhecido como Vallis Schroter (Lat: 26.2º N  Long: 50.8º W). Esse comprido canal que tem o aspecto de uma cobra e possui 168 km de extensão e largura de até 10 Km, dirige-se para o norte e depois para oeste. Vallis Schroter inicia-se com uma formação posicionada numa região alta, um pouco ao norte do local entre Aristarcus e Herodutus, conhecida como “The Head of Cobra” (a cabeça de cobra).


Dados técnicos da foto:

Autor:

Ricardo José Vaz Tolentino.

Dia e Hora:      

02/07/2012, 02h52m;

Telescópio:                        

Refletor Dobsoniano SkyWatcher Collapsible Truss-Tube;

Diâmetro Espelho Primário:      

305mm (12”);

Distância Focal:                 

1500mm;

Focal/Ratio - (f/):               

5;

Tripé ou Montagem:                     

Dobsoniana;

Barlow:                                

Celestron Ultima 2X Barlow;

Câmera:                               

Orion StarShoot Solar System Color Imager III;

Foto com apenas 1 frame, sem longa exposição ou “empilhamento”. Não foram utilizados filtros.

Não deixem de visitar na internet o site oficial do Observatório Lunar Vaz Tolentino onde é possível encontrar centenas de imagens da Lua, além de muitas informações sobre astronomia e ciência em geral. Visitem o remodelado site do VTOL: www.vaztolentino.com.br

Fonte:

http://www.vaztolentino.com.br/imagens/6255-ARISTARCHUS-Cia#photo_description